#OpiniõesEPitacos: Ser Clara - Um chick-lit dos bons












Título: Ser Clara
Autor: Janaina Rico
Editora: Editora Underworld
Páginas: 285
Ano: 2012

Página no Skoob


FALA DE QUÊ?

O livro conta a história do dia a dia de Clara, uma jovem professora, que foge totalmente do padrão de mocinha normal. Clara não tem papas na língua muito menos vergonha de assumir que pensa diferente da grande maioria das mulheres. No casamento da sua melhor amiga (achei clichê), ela conhece João Thomas um padrão de príncipe encantado: bonito, rico e simpático (deu preguiça desse perfil, mas ok!). No desenvolver desta história, vamos acompanhado uma série de grandes aventuras para balançar o namoro de Clara com João Thomas, dentre estes empecilhos estão uma sogra mais que louca e um velho amigo que ressurge balançando o coração da protagonista, formando uma espécie de triângulo amoroso. 


Simples e direto

A melhor maneira de classificar esta obra da Janaina Rico é assim: simples e direto, sem máscaras ou grandes maquiagens. É livro puro e simples que retratada bem o dia a dia da mulher moderna, cumprindo assim o seu papel de chick-lit. Uma história real e verdadeira, com aquela pitada de fantasia, que dá um gostinho mega especial. 

ÓBVIO 


"Ser Clara" parece ser um livro meio óbvio, daqueles livros que a gente lê só por diversão, para passar o tempo, e no fundo é isso mesmo. Mesmo assim, isso não desfavorece nada, a história de forma geral conseguiu me surpreender. O enredo não é inovador, mas é bom. Bem-criado, e isso faz a diferença. Melhor ler uma história clichê bem-montada do que uma trama totalmente confusa e louca. 

Faz a diferença

A protogonista com certeza é o grande ponto alto do livro, Clara é uma mulher tão real, tão verdade. Um tipo que eu com certeza já vi por aí. Com tiradas sempre espirituosas e pra lá de engraçadas, Clara conquista o leitor pelo sorriso. Podíamos ter uma ótima história, com uma péssima mocinha. Mas no caso de "Ser Clara" temos uma história bobinha com uma mocinha que a faz toda a diferença. 

Já Ele

Se a mocinha é O ponto alto do livro, já não podemos dizer o mesmo de João Thomas, seu par romântico. A imagem que a autora me passou é desgastada e superusada. O tipo tão normal, que até cansa... quem sabe ela podia ter ousado mais com este personagem, tirado ele do óbvio. Levado-o a uma patamar mais interessante... Apesar de torcer pela felicidade da Clara, acho que nossa mocinha alguém mais à sua altura. 


Falso Triângulo amoroso

Em meio à trama do romance convencional, vemos surgir uma espécie de triângulo amoroso. O que eu achei meio desnecessário, sei lá, soou forçado. Talvez uma tentativa de apenas querer balançar a história. Mesmo a dúvida de Clara parecendo legítima, tudo se mostrou bem bobinho e não me despertou curiosidade nenhuma, pois era óbvio o final. Pra mim, só serviu para colocar água no feijão.  


GRAN FINALE

O final me pegou, quando tudo começava a passear pro chato demais e caminhar pro esperado final feliz, a autora me surpreendeu e jogou um enredo bem empolgante. Pra lá de novelesco, é verdade, mas caiu bem na história como um todo. O suspense criado em torno do verdadeiro grande vilão da história foi bem sacado e me tirou do sério. Cogitei tantas hipóteses que uma hora ia acabar achando que era a própria Clara a culpada de tudo! Hahaha. Brincadeiras à parte, o final me chamou atenção e caiu no meu gosto. 


No geral 

"Ser Clara" cumpre o seu papel e pode ser colocado na galeria dos grandes chick-lits nacionais, pois assume totalmente a identidade deste gênero. Mostra uma história atual, com dramas cotidianos das mulheres. Isso tudo com muita verdade, pois até eu, um mero adolescente de 17 anos, me identifiquei com a história em certos momentos. Li coisas que realmente poderiam acontecer, o incrível é que a Janaina mesclou todo esse realismo com uma pitada fantástica que valorizou tudo. Não ficou nem aquela história real demais, que acaba ficando chata, muito menos naquela história totalmente absurda, parou no meio do caminho exato. Um grande acerto!
Finalizo indicando este livro para todos aqueles que querem ler uma história leve e despretensiosa com o propósito de se divertir. 






"Nasci no dia 22 de maio de 1979. Regida pelo signo de gêmeos, carrego praticamente todas as  características maluquinhas que o zodíaco me ofereceu. Formei em Direito e passei em concurso público, mas as letras falaram mais forte e troquei os códigos pelos romances. Hoje sou escritora em tempo integral.Alegre, comunicativa e teimosa. Acho que são as características que mais me marcam. O importante na vida é fazer piada!"



¡Compártelo!

1 comentários:

Janaina Rico

Obrigada, querido!

Postar um comentário

Buscar

 

Já passaram por aqui:

O que fez sucesso

A Paulicéia Desvairada Copyright © 2011 | Tema diseñado por: compartidisimo | Con la tecnología de: Blogger